Home Mundo Sindical Mobilização em Brasília: entidades reafirmam “Vida Longa à Justiça do Trabalho”

Mobilização em Brasília: entidades reafirmam “Vida Longa à Justiça do Trabalho”

60
0
SHARE

Superando as expectativas de público e conteúdo iniciais, o ato em defesa da Justiça do Trabalho e dos Direitos Sociais, realizado na terça-feira (5), na Câmara dos Deputados, levou ao Auditório Nereu Ramos e ao Plenário I da Casa, cerca de 500 participantes, vindos de todos os estados do país, entre os quais a Paraíba. O ato é uma realização da Anamatra. Fenajufe, OAB, Abrat, e da ANPT.

Pela Fenajufe estiveram presentes, além do paraibano Marcos Santos, os diretores Costa Neto, Cristiano Moreira, Edmilton Gomes, Elcimara Souza, Erlon Sampaio, Gerardo Lima, Gláucio Luiz, Helenio Barros, José Aristeia, José Everson, Mara Weber, Ronaldo das Virgens e Saulo Arcangeli. O Ato também contou com a participação de entidades nacionais integrantes do Fonasefe. Presença também de parlamentares e do Fonacate.

A tônica dos pronunciamentos destacou a defesa do valor social, histórico e a importância da Justiça do Trabalho para a regulação das tensões entre capital e trabalho – patrão e empregado, no domínio popular – além das muitas críticas ao caráter perverso da reforma trabalhista (Lei 13.467/17), o fim do Ministério do Trabalho e a proposta de reforma da Previdência desenhada pelo governo Bolsonaro.

Reforçando o compromisso da Fenajufe e dos sindicatos filiados, entre os quais o SINDJUF-PB, na união de esforços com as demais entidades e organizações da sociedade na defesa da JT, o coordenador-geral da Fenajufe, José Aristeia, disse que o desafio neste momento é não permitir que haja qualquer clima que possibilite ao Executivo Federal suscitar a extinção ou alterações na Justiça do Trabalho. Numa avaliação clara da conjuntura, disse que o ataque à JT integra um panorama maior de ataque ao conjunto de direitos dos trabalhadores, que teve como lance recente o fim do Ministério do Trabalho, passando pela reforma Trabalhista – que dificultou o acesso do trabalhador à proteção da Justiça do Trabalho – e que aponta agora, pelas demonstrações do governo, para a informalidade da classe trabalhadora.

A PARAÍBA PRESENTE NO ATO

O nosso estado esteve representado em Brasília pelos coordenadores do SINDJUF-PB, Marcos Santos e Evilásio Dantas, além do servidor da Justiça do Trabalho em Campina Grande, Valter Campelo.

De acordo com Evilásio Dantas, o Ato em defesa da Justiça do Trabalho e dos Direitos Sociais foi muito positivo. “O Ato já se tornou vitorioso, quando vejo que nós mobilizamos mais entidades do que esperávamos, como ministros, uma grande bancada de parlamentares, desembargadores, sindicatos e associações. Foram mais de 400 pessoas unidas em um só propósito: a defesa da Justiça do Trabalho”, destacou Evilásio.

Para Marcos Santos, representante da Fenajufe e do SINDJUF-PB, o Ato em si foi uma demonstração de força da nossa categoria. “Registramos as representações de 20 sindicatos e 14 coordenadores da Fenajufe, demonstrando a preocupação de toda categoria com essa medida insana e sem precedentes na história política desse país. Extinguir a Justiça do Trabalho é um ataque direto à classe trabalhadora”, disse Marcos Santos.

CARTA DE BRASÍLIA

Ao final do Ato, foi lida a “Carta de Brasília”, um documento que reafirma a imprescindibilidade da Justiça do Trabalho, assinada pelas entidades organizadoras.

CLIQUE AQUI e veja a íntegra da “Carta de Brasília”.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.