Home Mundo Sindical Chico do Sintram é reeleito para mais um mandato à frente da...

Chico do Sintram é reeleito para mais um mandato à frente da FESPEM-PB

263
0

Em eleição realizada no último dia 2 de abril, o sindicalista Francisco de Assis Pereira (Chico do Sintram), foi reeleito para mais um mandato à frente da Federação dos Trabalhadores em Serviços Públicos Municipais da Paraíba – FESPEM/PB. Ele derrotou a candidata da Central Única dos Trabalhadores (CUT-PB), Elinete Rolim.

A Chapa 1 “Em Defesa dos Trabalhadores”, encabeçada pelo sindicalista Chico do Sintram obteve 32 votos contra 26 da Chapa 2, que tinha como candidata a presidente a representante da CUT-PB. A eleição teve início às 8h e seu encerramento ocorreu às 17h, sendo a chapa vencedora empossada logo em seguida para um mandato de três anos.

Coube ao presidente da Comissão Eleitoral e aos demais membros, acompanhados pelos advogados de ambas as chapas e a candidata derrotada, dar posse ao sindicalista Chico do Sintram. Representantes de 20 sindicatos de trabalhadores municipais da Paraíba, todos filiados a FESPEM-PB, participaram das eleições, num processo considerado dos mais democráticos.

O presidente reeleito, Chico do Sintram disse que a vitória foi fruto do trabalho realizado ao longo dos anos à frente da federação em defesa dos direitos dos servidores públicos municipais da Paraíba, se colocando a disposição dos sindicatos para combater a política em defesa dos direitos dos trabalhadores.

Chico do Sintram enumerou quatro pontos importantes em defesa dos sindicatos e dos servidores municipais:

1) Dar continuidade nas ações dos bloqueios do antigo Fundef;

2) Lutar pela melhoria dos Planos de Cargos, Carreiras e Salários dos trabalhadores da Educação e dos demais servidores;

3) Subsidiar os sindicatos para resgatar os direitos tirados pela Reforma da Previdência do chamado Contribuição Sindical Compulsória;

4) Com a ajuda da Confederação Nacional dos Servidores Públicos Municipais (CSPM), oferecer aos sindicatos orientação nos processos que a Confederação ajuizou no Supremo Tribunal Federal e STJ, tornando o desconto da contribuição sindical constitucional.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here