Home Mundo Sindical “Decisão esdrúxula que condena os enfermeiros”, diz Milca Rêgo após decisão do...

“Decisão esdrúxula que condena os enfermeiros”, diz Milca Rêgo após decisão do STF sobre o piso da enfermagem

29
0

A presidente do Sindicato dos Enfermeiros no Estado da Paraíba (SINDEP), Milca Rêgo, considerou como esdrúxula a decisão tomada pelo Supremo Tribunal Federal (STF) sobre a manutenção da carga horária de 44 horas semanais como referência para o pagamento do piso salarial nacional da enfermagem. Segundo Milca, a decisão é prejudicial à categoria.

Ao portal ClickPB, a presidente do SINDEP explicou que, na prática, nenhum profissional da enfermagem, que seja servidor público, vai ganhar mais do que R$ 4.750, já que os servidores da enfermagem não chegam a trabalhar 44 horas semanais nos seus empregos.

“Essa decisão do STF é esdrúxula e vai trazer consequências grandes para os profissionais da enfermagem. Eles estão condenando os servidores públicos a ganhar R$ 4.750. A insalubridade, o adicional noturno, a gratificação, o quinquênio vão estar dentro do valor da remuneração global. Ou seja, nenhum servidor vai receber mais do que R$ 4.750 e isso se fizer 44 horas semanais, coisa que nenhum servidor faz. Serviço público é 40 horas”, afirmou Milca Rêgo ao ClickPB.

Sobre o setor privado, Milca pontuou que a decisão do STF vai causar ainda mais dificuldades aos profissionais. Anteriormente, a Corte entendeu que em caso de impasse entre funcionários e empresas, o piso da enfermagem deveria ser pago como mandava a lei. Com a decisão do último dia 18 de dezembro, o Supremo mudou o entendimento e, agora, em caso de impasse, fica autorizada a abertura de dissídio coletivo, que é uma negociação entre empresas e o sindicato, mediada pela Justiça, para definições de pagamento dos salários.

“Muitos (funcionários) vão ficar sem fazer acordo com o empregador e a gente vai ter que judicializar para fazer dissídio. É mais sofrimento para a categoria, que sempre esteve a serviço de toda a sociedade”, revelou a presidente da entidade sindical.

Milca Rêgo também falou que aguarda a publicação do acórdão dos embargos de declaração no STF para analisar, junto com o setor jurídico, possíveis ações jurídicas para questionar a decisão do Supremo.

“Iremos esperar a publicação do acórdão para estudarmos e vermos se tem alguma brecha ou entendimento, para ver as estratégias que iremos utilizar para que o piso ainda seja realidade para os profissionais serem valorizados. Vamos estudar qualquer ação jurídica que iremos utilizar para frente”, finalizou Milca, em entrevista ao portal ClickPB.

 

Da redação com ClickPB

 

 

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here